PMP Exam Lessons Learned From Those Who Have Been There

PMP® Exam Lessons Learned From Those Who Have Been There

By Amar Roy and Cornelius Fichtner

Are you considering studying for and obtaining your Project Management Professional (PMP)®Certification? Are you wondering what study tools and methods others have used successfully? Are you interested in reading about the exam experiences of those who have recently passed the PMP® Exam? Then there is a forum you should check out on The PM PrepCast website. All of the posts are lessons learned and tips from those who have recently become Project Management Professionals and who probably started with the same questions and concerns that you have.

Let’s take a look at one example from this forum. It was written by Amar Roy, PMP shortly after he obtained his PMP® Certification and contains the following insights into how the exam went for him.

Lessons learned and tips related to registering for the PMP® Exam:

  • Decide on a timeline for when you want to sit for the exam, and based on that, plan your preparation.
  • As soon as you have your 35 contact hours, register to take the PMP® Exam. This will help you to accelerate your planning process.
  • Become a PMI member before registering for the PMP® Exam; this will save you some money on study materials.
  • The PMP® Exam application process is a timely affair. You will need to provide a description of the project(s) you were involved with and your role across each of the process groups. Make sure you have a detailed project-experience history before you start; this will save you a lot of time!

Lessons learned and tips related to PMP® Exam study materials:

  • Read the most current version of The PMBOK® Guide from cover to cover twice; once early in the study process and again a couple of weeks before your exam date. The first reading will help to determine areas that need more focus, and the reading before the exam will reinforce concepts.
  • Additional suggested readings are the “The PMP Exam: How to Pass on Your First Try, Fourth Edition” by Andy Crowe, PMP, PgMP and the “PMP Exam Prep, Sixth Edition: Rita’s Course in a Book for Passing the PMP Exam” by Rita Mulcahy. Both of these texts have chapter tests included that you can use to gauge your PMP® knowledge.

Lessons learned and tips related to PMP® Exam practice tests:

  • Take at least 4-5 full length practice exams and have a goal in mind such as obtaining at least a 75% on each exam. Don’t get discouraged if you don’t reach your goal for the first exam. It will give you a good understanding of what you still need to learn, and you should get better with each exam.
  • Sitting for a four-hour exam can be rough. Build in breaks such as 5 minutes after the first 75 questions, 5 more minutes after the next 75 questions, and 10 minutes after the last 50 questions; then go back and review and revise your answers for the remainder of the time. If you practice this method, it will feel natural during the exam.
  • Make note of new concepts you come across in the practice exams; not all questions on the PMP® Exam come from the PMBOK® Guide.
  • Analyze the results of your practice exams to identify where you need to focus your study efforts.

Lessons learned and tips related to taking the PMP® Exam:

  • Know where your exam site is. Stop by the site a week before the test. This will reduce your stress on exam day a lot!
  • Make sure you know what identification you need such as passport or driver’s license to take the PMP® Exam.
  • Ensure you get a good night’s sleep.
  • Take a bottle of water and snacks with you.

Lessons learned and tips related to the PMP® Exam questions:

  • Make sure you know the difference between Quality Assurance and Quality Control.
  • There are a good number of questions pertaining to Procurement, Integration, Risk, and Scope Management.
  • Make sure you clearly understand Human Resource, Communication, Quality, Cost, and Time Management.
  • Understand the concept of Professional Responsibility.
  • Understand the concepts around earned value, if you practice the calculations a few times, you will be ready.
  • Make sure you understand other formulas such as expected monetary value, three-point estimate, PERT, network-related calculations, and communication channels.

These are just a few examples of the PMP® Exam related lessons learned and tips offered by those who have recently been in your shoes. You can access these lessons learned tips and many more in The PM PrepCast forum at http://www.pm-prepcast.com/ll.

About the authors

Cornelius Fichtner, PMP is a noted PMP expert. He has helped over 20,000 students prepare for the PMP Exam with The Project Management PrepCast and The PMP Exam Simulator.

Amar Roy, PMP has more than 12 years of experience in IT project management, consulting and solution definition. His primary work focuses on providing IT solution for Fortune 500 manufacturing clients. He has managed multiple projects in Supply Chain Management, Sales Analytic, web data mining projects. Besides project management his primary interests involves Big Data Analytic and Statistical analytic. He holds a Bachelor of Engineering degree from a reputed University in India. He is presently working as a Senior Project Manager at Infosys Ltd.

Seminário Internacional – Chamadas de Trabalhos

  PMI

Chamada de Artigos para o 
13º Seminário Internacional!

 
 
 

 

Convidamos os professores da academia, mestrandos, doutorandos e outros profissionais que pesquisam ou atuam na área de gerenciamento de projetos a participarem da 13° edição do Seminário Internacional em gerenciamento de projetos, organizado pelo capítulo São Paulo do PMI, apresentando seus artigos com suas experiências, casos de sucesso, metodologias desenvolvidas e lições aprendidas.

Consideramos sua contribuição acadêmica um fator fundamental para o desenvolvimento de toda nossa comunidade de gerenciamento de projetos. 

Cada artigo será julgado por 3 examinadores mestres ou doutores (blind reviewers) de instituições acadêmicas renomadas de São Paulo.

Aproveite esta oportunidade e tenha seu artigo publicado num dos eventos mais importantes do Brasil, reconhecido internacionalmente pela organização e qualidade de suas palestras.

O período de submissão inicia em 15/05/2013 e termina em 15/06/2013. Para maiores informações sobre regras de  participação, prazos e formatação de artigos, visite nosso site:

 www.pmisp.org.br/seminario

Pedro Branco, PMP
Diretor de Eventos

Livro grátis “10 Segredos para se tornar um PMP”

Deciding to get a Project Management Professional (PMP)® credential is a big step in a Project Manager’s career, and it can be a time-consuming and difficult journey.

Simplify this and read Cornelius’ new, free eBook “The 10 Secrets to Becoming a PMP“. Cornelius Fichtner, PMP, CSM is the brilliant mind behind the PM PrepCast.

These 10 Secrets are the result from teaching almost 25,000 students in preparation for their PMP Exam with The Project Management PrepCast. They are action items, which, if followed, will make exam preparation easier and less expensive.

It is, however, important to realize that the 10 Secrets will not make studying any easier or simplify passing the PMP exam. PMP aspirants are still going to have to study hard and stay focused. But the 10 Secrets are the step-by-step approach to preparing for and passing the PMP Exam.

The free ebook can be downloaded from this link:  http://www.pm-prepcast.com/secrets

Palestra – Desafios do Gerenciamento de Projetos em Óleo e Gás

Desafios do Gerenciamento de Projetos em Óleo e Gás

Case Radix Engenharia

EVENTO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

 

INSCRIÇÕES ATÉ 26/06, clicar aqui.

OBJETIVO:

Apresentar a metodologia utilizada no gerenciamento de projetos em óleo e Gás, inclusive citar o desenvolvimento de um software que foi feito para tal, a implantação recente do CMMI e seus desafios inclusive comparar a metodologia com a do PMBOK e fechar com alguns cases específicos de gerenciamento de projetos na área.

PALESTRANTE: Regina Lúcia de A. Santos, PMP

27/06 quinta feira, IBEC São José dos Campos Av. Alfredo Ignácio Nogueira de Penido, 678, Bairro Jardim Aquarius CEP 12246-000.

* Estacionamento no local e na região NÃO incluso na inscrição.

INVESTIMENTO:

•  Filiados PMI-SP: Gratuito!

•  Outros profissionais: R$ 30,00 (pagamento antecipado)

SAIBA MAIS: clique aqui.

The PMP Exam Changes in 2013

The PMP Exam Changes in 2013. Here’s What You Need to Know

By Cornelius Fichtner, PMP

The fifth edition of A Guide to the Project Management Body of Knowledge: (PMBOK® Guide) was published in December of 2012. It is the latest edition of this global project management standard published by the Project Management Institute (PMI)®. The release of this new edition has consequences for anyone who is preparing for (or thinking about preparing for) the Project Management Professional (PMP)® exam.

In a nutshell: On July 31st 2013 the PMP exam will be revised to be consistent with the PMBOK® Guide fifth edition. Here are my recommendations for all PMP aspirants out there:

General recommendation

There is no better time than now. If you want to get PMP certified then start studying right away and plan on taking your exam before June 30th 2013. You want to get your exam out of the way at least one month before the actual exam change, because the last 4 weeks before the changeover will see a “mad rush”. PMP candidates all over the world will be scrambling to “squeeze” their exam dates into July, so seats at the testing centers will be hard to get.

You are taking the PMP exam before July 31st 2013

If you are taking your PMP exam before the changeover, then you are taking the “current” PMP Exam. This exam is based on the PMBOK® Guide fourth edition (published 2008). Minor updates have been made to this exam in 2011. You must ensure the following:

- Study the PMBOK® Guide fourth (4th) edition

- Ensure that all your study materials are based on the PMBOK® Guide fourth (4th) edition

- Ensure that any online or in-classroom prep courses you take are based on the PMBOK® Guide fourth (4th) edition

You are taking the PMP exam on/after July 31st 2013

If you are planning to take your PMP exam after the changeover, then you are taking the “new” PMP Exam. This exam will be based on the PMBOK® Guide fifth edition (published 2012). You must ensure the following:

- Study the PMBOK® Guide fifth (5th) edition – it’s already available in stores

- Ensure that all your study materials are based on the PMBOK® Guide fifth (5th) edition

- Ensure that any online or in-classroom prep courses you take are based on the PMBOK® Guide fifth (5th) edition

- Contact your training material provider before you buy any materials that aren’t clearly marked with “Updated for PMBOK® Guide fifth (5th) edition” or a similar notice.

You should also avoid scheduling your exam exactly on July 31st 2013. This is the day of the changeover and who knows what might happen. Furthermore, in the past PMI has used the first few weeks after introducing a new exam to update its examination reporting processes. This meant that for a short period of time examination results were not available immediately following the examination. So in essence you won’t know right away if you have passed or not. If you fall into this period then what you should do is smile: Yes! Smile with the knowledge that you are helping PMI to assess the new exam. You have just done a great service to PMI and all other PMP exam takers coming after you. Thank you.

Ask about PMP Exam Prep Product Updates

PMP exam training providers across the globe are currently working hard to update their products. Ask your training provider by when their new materials will be available and if you get a discount as a current customer. Remember that even though you may plan on taking your exam before the changeover there is a chance that you may get delayed and then you’ll have to take the “new” exam. So you want to make sure that you don’t have to pay the full price again to buy all the updated material. Expect to pay some, but not full. As an example, here is how we do it:

Our company is a PMI Registered Education Provider (R.E.P.) and we offer a suite of PMP exam preparation products. It is our objective to have all products updated for PMBOK® Guide fifth edition and available for purchase by June 30th 2013. Customers who have purchased our current training materials and who need to purchase the updated materials for the “new” PMP Exam will be able to purchase the updated materials at 1/3rd of the retail price. This upgrade offer is available until October 31st 2013.

Final Recommendation

My final recommendation to all PMP candidates is that you should plan ahead. Look at your schedule availability for the coming months and factor in time for personal and professional activities like vacations, trade shows, family gatherings, weekend work, etc. If you determine that you can commit about 1-3 hours every day for 10 weeks and study for your PMP exam, then go ahead and get your certification done now. But if you have the slightest doubt about your schedule availability then postpone your exam until after July 31st 2013.

About the author: Cornelius Fichtner, PMP is a noted PMP expert. He has helped over 20,000 students prepare for the PMP Exam with The Project Management PrepCast and The PMP Exam Simulator.

Quando os recursos estão em múltiplos projetos

Quando os recursos estão em múltiplos projetos

(Por http://elirodrigues.com/)

 

Estruturas complexas geram problemas exponenciais. Tudo era muito simples quando as empresas eram puramente funcionais, existia um chefe, um gerente e um diretor. Mas o mundo mudou, as empresas estão assumindo estruturas cada vez mais complexas e variadas, sem falar no conflito de gerações, necessidades e valores pessoais. Hoje discutiremos sobre como as empresas podem amenizar os problemas com o controle de alocação de recursos humanos compartilhados.

Segundo o PMBOK, além das estruturas projetizada e funcional, existem três tipos de estruturas matriciais: Forte, Fraca e Balanceada. Na Forte, os recursos são alocados no projeto sob a coordenação do GP. Na fraca, os departamentos recebem “demandas” e alocam os recursos internamente, o GP não coordena suas ações diretamente. Na Balanceada, acontece um pouco dos dois.

A principal vantagem da Estrutura Matricial é permitir que o GP arregimente recursos de vários departamentos e empresas parceiras. Já as principais desvantagens são duas: as prioridades dos departamentos de origem costumam se sobrepor às do projeto e a visibilidade sobre a capacidade dos recursos fica reduzida, ou seja, o GP não enxerga as atividades da equipe fora do projeto.

Embora os recursos sejam cedidos ao projeto, a “emoção” começa quando esses recursos também estão cedidos a vários outros projetos com prioridades variadas. É como uma Montanha Russa em que os assentos vão sendo ocupados acima da lotação máxima, alguém vai acabar se machucando!

Conflitos

Na estrutura matricial fraca, o recurso passa a ter muitos “chefes” e tarefas concorrentes. Por exemplo, pode vir a ser chamado a uma reunião de kickoff enquanto outro projeto está “pegando fogo”, um parafuso!

Se a priorização de negócio não estiver clara, com tanto paralelismo, o nível de comprometimento tende a reduzir e as entregas podem começar a falhar. O resultado disso é a proliferação de conflitos.

Empresas imaturas entregam-se aos conflitoscaça às bruxas (busca de culpados), atrasos, repriorizações ou simplesmente entregam produtos sem qualidade e entram no ciclo do retrabalho, empatando os recursos de entrarem em novos projetos. Como o que não é faturado também não é medido, esse ciclo tende a durar longos períodos sem ser percebido pela alta gestão.

Já as empresas mais maduras, percebendo que essa causa de conflito se deve à escassez de recursos e que isso não vai mudar, capacitam suas equipes e usam ferramentas para priorização dos projetos e acompanhamento de indicadores.

Operação x Projetos

Um caso bastante peculiar é quando os recursos técnicos trabalham tanto na operação quanto nos projetos. Honestamente, nunca vi uma implementação desse tipo funcionando adequadamente, os projetos são sempre prejudicados por atrasos e falta de comprometimento dos recursos.

Projetos com recursos escassos, abaixo do necessário, ou excessivamente compartilhados tendem a ter resultados ruins. O ideal é possuir uma equipe de projetos separada, ainda que seja terceirizada. Se possível, com especialistas de maior senioridade, que entreguem a “bola redonda” para o pessoal de operação.

Acontece que frequentemente as empresas entram no ciclo de retrabalho e acabam pagando o preço de ter que balancear operação x projetos, muitas vezes deixando essa responsabilidade na mão do profissional. Que tipo de resultado ele conseguirá entregar?

Capacitando a equipe

No final das contas, tudo depende do ser humano e são as atitudes, mais que as habilidades, que farão diferença. Preparar os profissionais para agirem de  modo autônomo tem se mostrado eficaz em grandes empresas como IBM, Disney e Arno.

Observei dois princípios para a viabilização desse funcionário autônomo:

  • Responsabilização (Accountability) - Cada pessoa é responsável e “responsabilizada” pelo trabalho que executa. Neste cenário, a palavra de um técnico tem “peso de assinatura”, ele é tanto responsabilizado por eventuais erros quanto reconhecido pelos acertos.  Para que isso seja possível, ele precisa saber como seu trabalho é medido (metas), do processo que executa (como fazer) e do que pode ou não fazer (regras).
  • Transferência de Poder (Empowerment) - Cada pessoa tem poder de decisão no âmbito das atividades que executa. Isto significa que tem capacidade e poder para tomar decisões relacionadas ao seu trabalho e que a empresa confia que suas soluções são viáveis (dentro de limites ou sistemas pré-estabelecidos).  O alinhamento com seu gestor técnico deve ser total e é de responsabilidade do profissional.

As empresas do grupo Disney utilizam a autonomia dos funcionários como aliada há muitos anos, cada funcionário sente-se responsável pelo bem-estar dos ”convidados”, modo como chamam os clientes. Além disso, a empresa sabe que a melhor forma de coletar a opinião dos clientes é diretamente, sobretudo por observação. Elas também garantem que as sugestões sejam encaminhadas e tratadas e premiam os funcionários que tiverem esse tipo de iniciativa.

Priorização de Projetos

A priorização dos projetos é o “pulo do gato” para controlar esse cenário. Prioridades devem ser estabelecidas segundo critérios. Até mesmo o modo “quem grita mais alto” pode ser tabulado e gerenciado. Tipicamente esses critérios devem ser transformados em valores numéricos, comparáveis e monitoráveis.

Se a prioridade de um projeto mudar, é preciso que todos os envolvidos sejam avisados imediatamente. É fundamental que o GP conheça a prioridade do projeto, para evitar prejuízos ao relacionamento com o cliente e à imagem da empresa. Os “Top 10 Projetos” devem ser de conhecimento de todas as áreas envolvidas e devem possuir clara prioridade sobre os demais.

Algumas empresas adotam o Gerente de Recursos Compartilhados, que é um papel responsável por entender as prioridades e disponibilizar os recursos para os projetos. Sua presença faz com que o GP se concentre em coordenar o projeto e tenha um ponto focal de escalada para problemas com recursos. Trabalhei numa implementação desse modo em duas empresas e o custo-benefício era compensador.

Controlando os recursos compartilhados

Não se trata apenas da montagem de uma planilha, a otimização da alocação de recursos (muito) compartilhados depende, acima de tudo, da atitude impressa nos funcionários e da habilidade dos gestores de priorizar projetos.

Mais importante que sair procurando métodos é conhecer o comportamento do negócio. Contrate uma consultoria de modelagem e descubra o quanto seu processo é controlável estatisticamente. Se os projetos não tiverem similaridade alguma, sugiro que use algum método empírico, ao invés de tentar padronizar o que não tem padrão.

Em todo caso, existem templates de controle (veja aqui) e modelos científicos como a teoria das filas, que trabalha cálculos de tempos-médios de demanda/atendimento (veja uma apostila aqui).

A matriz projetizada é muito rentável para os negócios, otimiza recursos e possibilita a expansão geográfica do negócio. Também pode aumentar a capacidade produtiva  momentaneamente, quando se trabalha com terceirizados. Pode funcionar em diversas configurações dentro das variáveis recursosferramentas e prioridades. E cada caso deve ser estudado em detalhes antes de se definir um modelo de estrutura organizacional.

Eli Rodrigues

Palestra: “Gestão de Projetos como Opção de Carreira e as Competências do Gerente de Projetos”

Palestra: “Gestão de Projetos Como Opção de Carreira e as Competências do Gerente de Projetos”

Senac/Campinas – 20/outubro/2012 (Rua Sacramento, 490 – Auditório)

 

Objetivo

Nesta palestra, serão exploradas as oportunidades e desafios que a Gestão de Projetos oferece como carreira profissional e as principais competências necessárias ao gerente de projetos para uma gestão de sucesso, fornecendo um panorama sobre seu papel no cenário desafiador das empresas e posicionando as melhores práticas do PMBoK neste cenário.

Palestrantes

Alexandre Caramelo Pinto é Engenheiro e Especialista em Uso Estratégico de Tecnologia da Informação e Telecomunicações pela Universidade S.Judas e pela FEI. É profissional certificado PMP e ITIL® v3. Possui MBA Executivo Internacional em Gestão Empresarial pela FGV com extensão pela UCI – Universidade da Califórnia – Irvine, EUA e Capacitação em Gestão de Projetos pela USP/Fund. Vanzolini. É professor local nas disciplinas de Gestão de Tecnologia da Informação, Gestão de Projetos, Criação e Viabilidade de Projetos e Negociação do FGV Management, no programa POS ADM e no FGV Online.

Fabio Roberto Gomes Belem é Engenheiro, Especialista em Computação e Sistemas Digitais pela UNISANTA, Especialista em Admistração de Empresas pela ESAN (UNIFEI). Possui MBA Executivo em Gestão Empresarial pela FGV e Capacitação em Gestão de Projetos pela USP/Fund. Vanzolini. É professor local nas disciplinas de Criação e Viabilidade de Projetos, e Gestão de Projetos do FGV Management, no programa POS ADM. Atuou em empresas como Telefonica (Telesp), Ericsson, MCI e WorldCom. Atualmente, na Verizon, exerce função como Gerente Regional de Planejamento de Redes de Acesso e Relacionamento com Operadoras para o Brasil, onde atua nas áreas de estratégia e planejamento de redes de acesso, gestão de relacionamento e contratos, desenvolvimento de novas parcerias e tecnologias, cloud computing e content delivery, na forma de projetos em todo território nacional e America Latina.

 

Mais informações: Link.

http://www.pmisp.org.br/evento/campinas-palestra-gest%C3%A3o-de-projetos-como-op%C3%A7%C3%A3o-de-carreira-e-compet%C3%AAncias-do-gerente-de-pr-0

Palestra: “Comunicações em Projetos – Superando Barreiras” (Ribeirão Preto/SP)

Palestra: “Comunicações em Projetos – Superando Barreiras”

 Dia 22 de Agosto de 2012 – das 19h00 às 21h00

 

Local: Global HUB Novo Shopping – Av. Presidente Kennedy, 1500

Ribeirão Preto – SP – Espaço Empresarial (em cima do Poupatempo) – Fone: (16) 2138-6700

 

Objetivo:

Com o objetivo de introduzir os princípios da gestão de projetos utilizando como base as melhores práticas publicadas no PMBOK, o PMI Brasil, Capítulo São Paulo, Branch Ribeirão Preto realizará este evento técnico onde será ministrada a palestra “Comunicações em projetos – Superando barreiras” por Paulo H. R. Cardozo.

Gerenciar comunicação em projetos é um fator crítico para garantir o seu sucesso. Gerentes de projetos gastam a maior parte do seu tempo com comunicação ou com problemas decorrentes desta.

Com base nesse cenário, esta palestra explorará os fundamentos da gerência da comunicação pautadas no PMBOK, discutindo meios de levar à prática as informações ali publicadas, permitindo aos gerentes não somente elaborar um plano de comunicação adequado, mas sim, garantir uma comunicação eficaz.

É, portanto objetivo deste evento, fornecer aos participantes conceitos em comunicação, levando-os a reflexão de como aplicar os conhecimentos expostos no PMBOK ao dia a dia, sensibilizando-os sobre o impacto da comunicação no sucesso dos projetos.

 

Palestrante:

 

Paulo H. R. Cardozo: graduado em Direito pelo Centro Universitário de Araraquara. É especialista em marketing e cursou o MBA na mesma área pelo INPG- Instituto Nacional de Pós-Graduação. Sua experiência profissional passa pelos departamentos de marketing e vendas de renomadas empresas como Companhia de Cigarros Souza Cruz e Pepsico e Cia, detentora, entre outras, de marcas como Pepsi e Elma Chips.

 

Horário

Atividade

19h00 19h30 Credenciamento
19h30 19h45 Apresentações
19h45 20h45 Palestra: “Comunicações em projetos – Superando barreiras”
20h45 21h00 Networking

 

Inscrições:
- Os interessados deverão efetuar a inscrição através do email : inscricao@pmisp.org.br
- Informe: Nome, RG, email de contato, caso seja associado (a) informe o número do PMI ID e no assunto do email coloque o nome da palestra para identificar a inscrição.

- Data máxima para inscrição: 20 de agosto ou até o término das vagas.

LIMITE DE VAGAS: 120

REALIZAÇÃO: Diretoria de Grupos de Estudos Técnicos  

 

How To Find The Correct Answer On PMP Exam Questions

How To Find The Correct Answer On PMP Exam Questions

By Cornelius Fichtner, PMP

You have studied the PMBOK® Guide and numerous additional materials; you believe you have a solid understanding of project management theories and the application of those theories; and you have taken the steps to schedule your PMP Exam, there is just one lingering question…how can you make sure you are able to identify the best answers when it comes time to take the PMP Exam?

The PMP Exam consists of 200 multiple choice questions that need to be answered in four hours. For each question you are provided a scenario along with four answers to choose from. Your job is to choose the correct answer, which can be difficult when more than one answer may look correct. One thing to remember that no matter your personal experiences or even other project management training, the PMBOK® Guide is the basis for answering PMP Exam Questions.

There are several strategies you can use to help yourself determine the best answer when taking the PMP® Exam:

  1. After you read the scenario, come up with the answer in your head before taking a look at the answers supplied by the exam. You may already know the answer without taking a look at the four answers provided. There is no need to allow the answers provided to confuse you if you know the answer.
  1. Read all of the answers provided before choosing one. There is no way of knowing if you have made the best choice if you do not read all of the answers.
  1. Answers questions that you know and return to those you have not answered later. Return to the more difficult or complex questions after taking care of the questions you know. This allows you to obtain the easy points and spend the remaining time on the questions you skipped.
  1. Eliminate any answers you know are not correct. There are going to be times when you are going to be able to completely eliminate an answer or two which will make answering the question a lot easier.
  1. Question answers that contain absolutes such as always, all, every, never, none, and only. These answers may look good, but remember absolutes are a dangerous area since there can be exceptions to them. Make sure you consider the restrictive nature of an answer that contains an absolute.
  1. Doubt answers that are not familiar to you. If any of the answers provided do not seem familiar to you or don’t seem to fit in with the PMBOK® Guide language or terminology, there is a good chance this is not the answer to the question.
  1. When two answers seem correct, compare their differences. In the case of two answers that seem to both be correct, compare the differences to determine which one is the best answer. There will be differences even if they are slight.
  1. Select the answer most logical to you, based on the PMBOK® Guide. Based on your knowledge of the PMBOK® Guide select the option that seems to be most logical to you.
  1. Answer each question even if you just guess. There is no penalty for guessing on the PMP Test. Make sure you select an answer for all 200 questions on the exam even if you guess…you have a 25% chance of getting it correct.
  1. For computational questions you are familiar with do the work and then refer to the answers provided. If you are familiar with the required calculation to find the correct answer, work the problem before looking at the available answers.
  1. For computational questions you are not familiar with work the problem backwards. Four possible answers are provided that you can use to work the problem backwards to determine which the correct answer is.
  1. Check your answers; only change an answer for a really good reason. Your first answer is generally your best so only make changes if you are sure or if clues within the text cue you another answer.

Remember, PMP Questions are based on the PMBOK® Guide and it is your job to find the “best” answer to the scenario provided while taking the PMP® Exam. It is entirely possible that the correct answer may not seem to be evident even using the strategies listed above. Even if there are a couple of questions that seem unanswerable, make sure you at least guess…you have a 25% chance of answering correctly when guessing, where if left unanswered you have a 100% chance of getting it incorrect.

The best method for learning how to put the strategies above to use is practice, practice, practice. Using a PMP Exam Simulator will provide you with that kind of experience. The PMP Exam Simulator at www.pm-exam-simulator.com closely replicates the actual PMP® Exam environment, is based on the current PMBOK® Guide, contains hundreds of sample questions, and provides detailed explanations for all answers. When you are ready to put these test taking strategies to practice and prepare for your opportunity to take the PMP® Exam go to www.pm-exam-simulator.com for free three day trial of a PMP Exam Simulator.

About the author: Cornelius Fichtner, PMP is a noted PMP expert. He has helped over 18,000 students prepare for the PMP Exam with The Project Management PrepCast at http://www.pm-prepcast.com and he guides PMI credential holders on earning PDUs with The PDU Insider at http://www.pdu-insider.com

Mind Mapping the PMBoK

A técnica de Mind Mapping é usada primordialmente para representar ideias, conceitos, tarefas ou qualquer outra entidade onde uma representação visual e ramificada parte de uma ideia central. Em outras palavras, esta técnica nada mais é do que um método gráfico de se tomar notas.

O Mind Mapping é usado em diferentes áreas do conhecimento humano, e na disciplina de Gerenciamento de Projetos não poderia ser diferente. O Guia PMBOK® (4ª Edição) lista o Mind Mapping como uma ferramenta do processo Coletar os Requisitos (Gerenciamento do Escopo), e é categorizado como parte das Técnicas de Criatividade em grupo.

Valendo-se do potencial do Mind Mapping em representar conceitos e idéias, por que não utilizá-lo para entendermos os conceitos apresentados no próprio PMBOK®?

Partindo-se deste proposta, e também baseando-se num post anterior neste blog com objetivo semelhante, o autor usou esta poderosa técnica para organizar, em grupos de Processos, os 42 processos listados no PMBOK® (4ª Edição) baseando-se também em conceitos listados no livro “Preparatório para o Exame PMP ®”, 6ª Edição, da RMC Publications.

Abaixo, os Mapas Mentais dos cinco Grupos de Processos:

Iniciação

Planejamento

Execução

Monitoramento e Controle

Encerramento

Para acessar os arquivos Freemind de cada um dos Grupos de Processos:

Matheus Reis, PMP – Experienced Project Management Professional with 11 years experience in multi-national companies, having worked in different types of organization and in different areas (Regional Project Office, Global Services, R&D Centre, Warranty Office).  Broad range of national and international experience managing and deploying successful projects.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 192 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: