rio2016 Recentemente nós brasileiros fomos, agraciados com a notícia de que os Jogos Olímpicos de 2016 serão em nosso país; mais especificamente, na cidade do Rio de Janeiro. Eu, brasileiro, acho esta uma ótima oportunidade para nosso país. Nos traz reconhecimento e visibilidade no âmbito Global.

E do ponto de vista do gerenciamento, este é sem dúvida um projeto de grandes dimensões (que, provavelmente, deverá ser tratado como um programa, composto por vários subprojetos).

Imaginemos que uma estrutura equivalente a de um Escritório de Projetos seja estabelecida para orientar a condução do trabalho. Agora, analisando de maneira bem suscinta (sem todo o formalismo e estruturação característicos de um gerenciamento de programa) cada uma das áreas do PMBoK®:

  • Escopo: um desafio interessante é criar a estrutura analítica deste projeto que inclui itens que vão desde a Vila Olímpica, passando pela infraestrutura de transportes e detalhes das demandas específicas de cada modalidade esportiva.
  • Tempo: este exige precisão, afinal, não se pode atrasar o início dos jogos. Não há margem para negociação.
  • Custos: o orçamento, bem, esse não será nada modesto.
  • Qualidade: a percepção do mundo a respeito do Brasil será diretamente afetada pelo trabalho desenvolvido.
  • Recusos Humanos: fico imaginando o organograma desse projeto (e seus sub-projetos) e a diversidade de habilitações profissionais necessárias.
  • Comunicações: a quantidade de interessados (os chamados stakeholders) vai requerer um plano de comunicações bastante complexo. Os níveis hierárquicos (ou de decisão) e o tipo de informação necessária também será bastante amplo.
  • Riscos: neste momento, 7 anos antes, a lista de risco deve ser extremament extensa; e os impactos no projeto, pra exagerar um pouco, ‘devastadores’.
  • Aquisições: uma lista de compras bastante extensa envolvendo uma infinidade de fornecedores (lembrando que neste âmbito, do setor público, temos ainda a necessidade licitações)
  • Integração: planejar e coordenar todas estas áreas, ou ainda, os diferentes sub-projetos, bem como, as mudanças de escopo, vai exigir muito trabalho.

Este Escritório de Projetos Olímpico, além de uma grande oportunidade de crescimento e aprimoramento, tem um grande desafio pela frente. Afinal de contas, este projeto possui dois importantes stakeholders: Os mais de 190 milhões de brasileiros e o Mundo.

 Giovani Faria

Anúncios