Inês de Castro (Galiza, 1325 – Coimbra, 1355) foi uma nobre galega amada pelo futuro rei Pedro I de Portugal, de quem teve quatro filhos. Foi executada às ordens do pai deste, rei Afonso IV, sob o pretexto da moralidade, uma vez que Pedro I era casado. O rei Afonso IV aproveitando que Pedro I estava em uma viagem de caça, mandou assassiná-la, pondo fim no romance e nas críticas que assolavam a côroa portuguesa nessa época. Dois anos depois, Pedro tornou-se rei de Portugal e investido de régio poder mandou perseguir os assassinos de Inês que foram caçados e executado além de coroar Inês rainha mesmo depois de morta.

Dessa pequena narrativa vem a expressão “a Inês é morta”, se referindo a alguma coisa que não temos mais como influênciá-la. E que relação tem a Inês com gerenciamento de projetos??

A cultura do gerenciamento de projetos comumente utiliza o monitoramento de status (também conhecido como análise estática) para definir se um projeto está ou não sob controle. Sob essa ótica, um projeto estaria bom se está 5 dias adiantado em seu cronograma? Muitos diriam que sim, é óbvio, temos folga, se algo der errado temos 5 dias pra consertar… E se a uma semana atrás ele estivesse 15 dias adiantado e a três semanas atrás 30 dias? O projeto continuaria sendo dito “sob controle”?? Tornou-se um desafio entender se um projeto esta sob controle quando está tudo “no verde” ou se está fora de controle quando tudo está “no vermelho”.

O gerenciamento por tendências “tem colocado em xeque” o gerenciamento por status sempre que o ambiente se torna competitivo. Somente olhando para o status teremos condição de efetivamente estar preparado para problemas futuros? Teremos poder de reação? Ou até lá “a Inês é morta”?

Antecipar os problemas (materializar riscos) é estar preparado para resolvê-los de maneira preventiva, e não criar uma “operação de guerra” a cada novo risco que poderia ter sido previamente descoberto. A análise de tendências nos permite criar uma relação de valores e situações futuras baseando-se nos dados reais vindo da análise estática de projeto (análise de indicadores estáticos, análise de status). Esse gerenciamento por tendências fornece bons resultados e uma leitura se realmente o projeto está bem. Sempre tente projetar no futuro a linha de tendência obtida com dados históricos e crie planos de ação para mitigar ou resolver qualquer um dos riscos que essa análise lhe mostrar.

Abraços, Marcelo Camera

Anúncios