A abordagem “Ágil” é confundida as vezes como uma justificativa da falta de disciplina ou de metodologia, acarretando muitas vezes a não adoção dessa abordagem por uma organização. A confusão é compreensível, porque há uma multiplicidade de práticas que se julgam “Ágeis” e outras que são “Ágeis” mas são aplicadas de maneira errada.

A “Agilidade” denota a capacidade de suportar o que quer que aconteça mantendo o equilíbrio e a dinâmica. Traduzir isso para o gerenciamento é manter o desempenho e a continuidade dos projetos diante da evolução das necessidades do cliente, dos objetivos da organização e das tendências de mercado.

A “Agilidade” então é baseada em alguns princípios unidos por um único conceito de valor e a aplicação desses valores resulta num ambiente “ágil” que poderá ser observado e sentido por qualquer stakeholder do seu projeto. Nesse ambiente considera-se valor as seguintes iniciativas:

– aprendizado e adaptação

– colaboração

– foco no cliente (objetivos)

– times de projeto reduzidos e auto-gerenciados

– planejamento iterativo

– elaboração progressiva dos requisitos desse projeto

– entregas incrementais

Abraços, Marcelo

Anúncios