Avaliação de Riscos

Para nos aprofundarmos no Gerenciamento de Riscos (iniciado no post Série Riscos em Projetos – Parte 1), é interessante acrescentarmos um pouco mais de teoria, com algums exemplos práticos.

Abordando um pouco mais dos aspectos teóricos, a área de Gerenciamento de Riscos envolve algumas etapas:

Identificação dos riscos: atividade importante que permite, por exemplo, listar os riscos relavantes. Isso pode ser conseguido através de sessões de brainstorming, da consulta a base de dados da empresa (conhecido como ativos de processos organizacionais), entre outros.

Quantificação: o simples fato de relacionar todos os riscos possíveis para um projeto não é suficiente. É preciso também fazer uma avaliação da sua Severidade, ou seja, a relação entre a Probabilidade de ocorrência e seu Impacto no projeto.

  • A Probabilidade, por exemplo, pode ser avaliada como Baixa, Média ou Alta; ou então, pode ser utilizada uma gradação percentual (25%, 50%, 75%, 100%). Não existe uma regra definida para o número de níveis para essa avaliação; o importante é avaliar a influência relativa entre os diferentes riscos no projeto.
  • Já o Impacto pode ser classificado com uma pontuação (1, 2, 3, ….) ou com a mesma graduação utilizada para a probabilidade (Baixo, Médio, Alto).
  • Finalmente, a Severidade pode ser obtida através do produto entre Probabilidade x Impacto; sendo esta utilizada como medida relativa de avaliação de riscos; servindo como base para estabelecer planos de ação.

Resposta: De posse dos riscos que podem influenciar seu projeto e de uma avaliação numérica (quantificação), deve-se então estabelecer planos de resposta a esses riscos. O resultado desse planejamento estabelece as ações a serem tomadas para cada uma das diferentes ocorrências que podem se tornar problemas para seu projeto.

Todos os projetos, em maior ou menor grau, estão expostos a algum tipo de risco. Entretanto, vale ressaltar que nem todos os riscos tem conseqüência negativa para o seu projeto; podendo existir riscos que tenham um impacto positivo e representem uma oportunidade.

Quanto melhor forem realizadas as atividades de Identificação e Quantificação, maior a chance de elaborar planos de ação (de resposta) mais efetivos.

No próximo post, vamos discutir melhor o assunto (Planos de Resposta aos Riscos).

Introdução

Giovani Faria

Anúncios