Uma situação bastante comum é a do gerenciamento de projetos simultâneos (portfolio). Neste sentido, as palavras eficiência, foco, gestão do tempo, entre outras, tornam-se cada vez mais necessárias. Entretanto, é importante ter em mente que todos os projetos são importantes para a organização e para os clientes, e portanto, requerem atenção.

Com este cenário em mente, vamos analisar algumas das possíveis (ou prováveis) posturas do gerente desses projetos para atender às demandas específicas de cada um deles mantendo o controle da situação.

  • Controlar: aqui, o gerente assume controle direto pelo andamento das diferentes atividades através do seu monitoramento constante (especialmente no milestones definidos). Todavia, este posicionamento pode tornar-se inviável considerando o nível de detalhamento requerido pelas atividades e, especialmente, a maturidade da equipe de projeto.
  • Delegar: nesta situação o gerente, embora continue sendo o responsável pelo projeto, delega o monitoramento de algumas atividades para algum dos membros da(s) equipe(s). Este posicionamento é bastante interessante, mas requer do gestor atenção para garantir que este suporte saiba monitorar e reportar tudo que é necessário. Uma ação neste sentido é garantir um bom alinhamento de necessidades e expectativas entre as partes (o gerente e seu suporte).

Planilhas de acompanhamento, post its, gadgets, kanban (to do, ongoing, done), enfim, ferramentas de gestão em geral (waterfall, agile, etc.), podem ajudar bastante nesse controle. Entretanto, é preciso garantir que estas ferramentas sejam atualizadas correta e constantemente para refletirem a realidade dos projetos.

Giovani Faria

Meus posts

Anúncios