Quando falamos em processos, muitas vezes, estamos procurando maneiras (métodos) de dar maior eficiência e eficácia ao trabalho nas organizações, onde termos como redução de custos, incremento da competitividade, melhoria da qualidade, entre outros, são bastante comuns.

Uma ferramenta que pode auxiliar neste sentido é a Gestão por Processos, que procura mapear e implementar os procedimentos organizacionais através de ferramentas de gestão (como os ERPs).

Entretanto, durante este processo – de criação e implantação de procedimentos e metodologias padronizadas (ou de sua revisão, já que processo ‘tem’ prazo de validade) – é preciso avaliar adequadamente o produto deste trabalho.

Alguns questionamentos pertinentes para aumentar as chances de sucesso no uso dos processos estabelecidos são:

  • O processo (e cada uma de suas atividades) é realmente necessário?
  • Este processo ou atividade agrega valor para a organização?
  • Qual sua função desse processo/atividade na empresa?
  • Este processo/atividade atende aos objetivos previamente definidos?
  • Este processo/atividade pode (ou deve) ser melhorado?
  • Todas as atividades definidas no processo precisam (e efetivamente, são) executadas?
  • Este processo está adequado às demandas do mercado?

No Gerenciamento de Projetos (assim como apresentado no PMBoK) temos estabelecidos alguns Grupos de Processos de gestão que procuram estabelecer um fluxo de trabalho adequado para cada uma das fases do projeto. Estes grupos de processos foram apresentados nos posts seguintes:

Giovani Faria

Meus posts

Anúncios