Ao procurar transmitir um conhecimento/informação para alguém é importante que você:

  • Acredite que o que é óbvio pra você, pode não ser tão óbvio assim para os demais.
  • Saiba que há uma chance muito grande de que sua forma de raciocínio seja diferente da dos demais.
  • Perceba que a perspectiva pela qual você enxerga um problema muito provavelmente vai ser diferente dos outros.
  • Note que o tempo para absorver uma informação é diferente entre as diferentes pessoas.

Pensando em tudo isso, como maximizar a transferência de informação?

Um substantivo bastante conhecido pelos docentes pode parte da resposta, a Didática (que de acordo com o dicionário é a arte de transmitir conhecimentos, ou, de outra forma, cita que a didática é a parte da pedagogia que trata dos preceitos científicos que orientam a atividade educativa de modo a torná-la mais eficiente).

Mas note que a didática utiliza-se de ‘preceitos científicos’ para proporcionar ‘eficiência’ neste processo.

Então:

  • Já que não existe o óbvio geral, defina, em conjunto, qual deve ser este óbvio. Para isto, o tema deve ser específico e o objetivo deve estar claro.
  • Apresente de forma clara qual é a perspectiva pela qual você vai analisar o problema em questão.
  • Avalie se o tempo planejado para obter um resultado quanto a informação apresentada está minimamente adequado para alguém: que não tenha a mesma vivência que você e que pode estar sendo apresentado ao tema naquele momento.

Finalmente, clareza e encadeamento da informação é essencial neste processo.

Resumindo:

  • Saiba exatamente onde se está (‘o óbvio’)….
  • Mostre exatamente onde se quer chegar (‘a informação’) …
  • E tenha um plano organizado (‘forma de raciocinar’)…
  • Some tudo isso em uma boa didática e amplifique bastante suas chances de obter bons resultados.

Giovani De Faria

Anúncios