Uma ferramenta muito útil para avaliar as razões que levaram ao mau resultado de um projeto é conhecida como RCA (Root Cause Analysis), ou Análise de Causa Raiz. Para saber mais sobre esta ferramenta leia a postagem do link.

A condução desse processo passa naturalmente por uma fase inicial na qual a equipe envolvida costuma focar muito nos problemas em si, e não no porquê ocorreram e em como evitá-los.

Em um processo talvez natural de ´autodefesa´os comentários iniciais apontam como razões principais (para este mau resultado) os fatores externos à equipe (sistemas, equipamentos, documentação, etc.).

Entretanto, à medida que se conduz esse processo a equipe começa, por meio de uma análise mais isenta dos fatos e dados disponíveis, a identificar falhas nas próprias condutas e/ou na interpretação das informações disponíveis.

A velocidade com que essa reflexão costuma acontecer está intimamente atrelada à maturidade da equipe que compreende claramente que, com este processo, estamos preocupados com a ocorrência de ações falhas, e não necessariamente com as pessoas (e suas atitudes) que as executaram de forma deficiente, incompleta, etc – ainda que este tipo de fator deva ser levado em consideração para a tomada de ações.

Em um estágio de maior maturidade das pessoas envolvidas chega-se também a propostas mais concretas e efetivas de como evitar a ocorrência de problemas similares em projetos futuros, além da proposta de melhorias no processo de trabalho.

Quando os envolvidos se engajam e se comprometem com o processo de RCA propostas realmente inovadoras acabam por surgir levando a própria equipe e, consequentemente, a organização onde estão inseridas, a estágios mais elevados de eficiência e produtividade.

Então, trabalhar a maturidade da equipe para que entenda as motivações e necessidades por trás dos diferentes processos organizacionais é fator essencial para o crescimento das pessoas e da organização.

Giovani De Faria

Anúncios