Uma das discussões mais acaloradas quando se fala em gerenciamento de projetos que usam metodologias ágeis é sobre as atribuições e responsabilidades do Gerente de Projetos.

Tenho visto muitas discussões com pontos de vista interessantes e razoáveis, outras com argumentos que beiram o fanatismo, já que a grande a questão que suscita tanta polêmica é sobre a necessidade ou não de um Gerente de Projetos em projetos desse gênero. Os argumento de quem defende a não existência de um Gerente de Projetos são vários: o time é auto-gerenciável, o Scrum Master ajuda a remover os impedimentos, os requisitos a serem entregues são aqueles priorizados pelo cliente, e por aí vai…

No entanto entendo que a participação de um Gerente de Projetos possa contribuir muito para o projeto, uma vez que um maior controle na gestão do mesmo se traduz em eficiência e efetividade. Além disso, o gerente de projetos vai se concentrar em itens que nem sempre o time ou o Scrum Master podem ou tem condições de cumprir, tais como:

  • controle de alocação dos recursos;
  • gestão de riscos, comunicação e contratos;
  • interface com clientes internos e externos;
  • responsabilidade formal pelo projeto junto à gerência executiva;
  • alinhamento do projeto à direção estratégica da empresa.

Eu vejo pelo menos três papéis diferentes que o Gerente de Projetos pode desempenhar em um projeto com metodologia ágil:

  • Gerente de Projetos é o Scrum Master
    Nesse caso, além das atividades relacionadas ao gerenciamento do projeto em si, o gerente de projetos desempenha o papel do Scrum Master no time. Indicado para projetos menores ou menos complexos (menores que 4 sprints, ou menos de 1000 homem-horas, etc.), com a vantagem de aproximar e dar visibilidade ao GP das atividades desenvolvidas no dia-a-dia do projeto. Exige uma maior alocação do GP, pois a dedicação a todos os aspectos do projeto deve ser considerada.
  • Gerente de Projetos é o Product Owner
    Indicado para projetos maiores em que o cliente não esteja diretamente envolvido na execução do projeto. O Gerente de Projetos tem o controle do backlog e, através da interface com os stakeholders, prioriza os itens a serem entregues. A vantagem dessa configuração é que o Gerente de Projetos pode dar o viés necessário ao projeto para que ele se alinhe aos objetivos estratégicos da empresa.
  • Gerente de Projetos não desempenha nenhum dos papéis do Scrum
    Mesma situação anterior, mas com um cliente exercendo papel ativo como Product Owner. Indicado para projetos estratégicos, muito grandes ou muito complexos, onde o gerente de projetos se concentra na gestão dos stakeholders e aspectos administrativos e de controle do projeto.

Independente da configuração utilizada a presença de um Gerente de Projetos sempre vai contribuir para um melhor desempenho do projeto em si através da adoção de métodos eficazes de planejamento e controle.

Eamon Sousa

Anúncios